quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

Quem Governa?

- Excelente questão essa, meu bom Pelarus. - sorria, enquanto lhe passava o braço sobre os ombros e caminhavamos pela praça principal de Sulus - "Quem governa?" - repeti a pergunta que ele me havia feito.

Ora essa é uma questão que nos pode levar a reflectir um pouco. Embora Sulus seja a capital dum reino, logo uma monarquia e todos os poderes estejam concentrados na pessoa do Soberano, não se pode dizer que seja uma Monarquia Absolutista. Eu diria que em Sulus, assim como por todo o Reino, cada um se governa a si.

O Soberano, ou Rei como lhe queiras chamar, é acima de tudo a personificação de todo o povo de Sulus. Ele é a pessoa em que cada um de nós se revê. É também ele o zelador do bem estar de todos os seus súbditos. Rei ou Rainha, pouco importa. No presente temos um Rei, mas o título é assumido por herdeiros e herdeiras.
Falando de herdeiros e reis, o Herdeiro do Trono de Sulus não tem de ser obrigatoriamente filho do Soberano em título. O Rei pode nomear o seu sucessor fora da Casa Real, bastando para tal que esse sucessor receba uma instrução preparatória para o governo, tal como a que os Príncipes de Sangue recebem. Mas geralmente é sempre o primogénito real o Herdeiro e, desde bem novo, recebe uma instrução especial, para no futuro assumir o posto de Soberano.

Em Sulus governa o Rei no interesse de todo o povo. E podes ver isso aqui na Praça do Palácio.
- Exacto, notaste bem. O Palácio Real está aberto e sem guardas. Qualquer um pode entrar no palácio.
- Porque não há guardas?! Ora, meu querido, porque todos os habitantes de Sulus zelam pelo bem estar do Seu Soberano, pois disso depende o seu próprio bem-estar. Um Soberano justo e guardião do bem-estar do seu povo não necessita de guardas armados para o proteger. O Povo é a sua melhor protecção.

- Corrupção?! - não pude deixar de dar uma risada por causa da interpelação do meu amigo. - Oh, meu caro Pelarus, isso não existe em Sulus!
Como?! Uma das primeiras medidas para o evitar é a de que ao Soberano e a toda a Casa Real (chamamos Casa Real à família em primeiro grau do Soberano) não é permitida a posse de bens pessoais. Assim o mesmo acontecendo com todos aqueles que desempenhem cargos ligados à governação e administração do Reino. Além disso a acumulação de riqueza excessiva não é permitida em Sulus.

- Não, não receamos que um Rei se torne despótico e impopular. Não esqueças que não há guardas à porta do Palácio Real. - ambos rimos - Demais o Rei não governa sozinho. As suas decisões são tomadas depois da consulta dum Colégio de Sábios e duma Corte composta por representantes de todas as cidades do Reino. Além de que o Rei tem uma agenda destinada a receber directamente os cidadãos que se lhe queiram dirigir pessoalmente. Para tal o Rei se desloca periodicamente por todo o Reino.

No Reino todos têm garantido o direito à sobrevivência. Isso implica que nem precisamos de trabalhar para podermos nos alimentar, ter uma morada e sermos assistidos em caso de doença. Em Sulus cada um é livre de se dedicar à função que preferir. Ninguém é coagido a trabalhar para sobreviver. Há trabalho para todos, os que queiram trabalhar e o empresariado é incentivado e apoiado pelo Estado, pelo que os lucros excedentes da actividade económica revertem a favor do Estado, logo a favor de todos.

Mas a base de tudo isso é a Educação. O pilar fundamental da sociedade de Sulus é a Educação.

2 comentários:

São disse...

Sim a Educação é a base de tudo. E , por isso, tão mal amada é!
Tens romãs esperando por ti lá em casa!
Feliz Dia de Reis.

JCD disse...

Um abraço MUITO amigo de dia de Reis!